Terça-feira, 30 de Junho de 2009

Se não sou a Polly Smith, quem sou?

– Mas que pergunta profunda – disse Oliver Fraddon.

Estavam ambos lado a lado, numa galeria em Somerset House, o edifício onde estava instalada a Conservatória do Registo Civil, com os registos de todos os nascimentos, casamentos e óbitos de todos os condados de Inglaterra.

– O mundo em ponto pequeno, pode dizer-se – continuou

Oliver, passando os olhos pelas estantes do chão ao tecto, repletas de milhares de grandes livros vermelhos contendo o movimento de milhões de vidas presentes e passadas. – Todos nós aqui anotados, capturados, imortalizados. Volumes cheios de nomes e identidades, de A a Z, simples e extraordinários. Nascemos, casamos… alguns de nós, pelo menos… e de cada vez somos inscritos aqui numa página. Uma ideia assustadora.

– Deixa lá a ideia assustadora, o que me preocupa é que não faço parte dos que estão aqui imortalizados — disse Polly.

– É bem verdade. Sugiro que voltemos à recepção e solicitemos a ajuda do anjo escrivão.

Tomou a dianteira, descendo a escada metálica em caracol e advertindo Polly para que tivesse cuidado. – Senão acabas como um novo registo nos Óbitos.

A funcionária atrás do comprido balcão central de madeira não possuía nada de angélico. Tinha lunetas presas a uma fina corrente e exibia um ar atormentado. Oliver interpelou-a. – Esta senhora parece ter desaparecido.

A funcionária olhou para Polly com uma expressão preocupada nos seus murchos olhos cinzentos, olhos que eram mais bondosos do que a sua boca crispada. – Valha-me Deus. Não consegue encontrar o seu registo? Não está no sítio certo? Diz que o seu apelido é Smith? Bem, há muitos Smith mas no fim só existe uma pessoa com o seu nome. Tudo se resume a ter as datas e o endereço correctos. Desde que não haja dúvidas sobre esses dados, acaba por aparecer. A não ser – acrescentou, a sua voz tornando-se mais aguda –, a não ser que seja estrangeira.

– Tenho ar de estrangeira? – perguntou Polly, indignada, não por se importar de ser tomada por estrangeira mas porque queria afirmar o seu direito de ali estar, registada entre os seus concidadãos, naqueles grandes livros vermelhos.

– Não, mas se tiver nascido no estrangeiro, mesmo que seja tão inglesa como eu e Mr. Grier além, não constaria dos registos principais da Conservatória mas de registos guardados noutro lugar.

– Nas regiões inferiores? – sugeriu Oliver ao ouvido de Polly. – A secção do enxofre, com diabinhos escrivães a correr de um lado para o outro?

– Não é o caso – disse Polly. – Nasci em Highgate. Bingley Street, número 11, numa transversal de Archway. A minha mãe ainda lá mora. A 1 de Maio de 1908.

– Só que não existe nenhum registo do nascimento dela no livro correspondente – acrescentou Oliver.

O anjo estava impressionado com Oliver, Polly via perfeitamente. Se fosse só ela ao balcão, com a sua velha gabardina e boina grená, ainda estaria à espera que a funcionária levantasse os olhos das fichas e dos papéis. Tinha sido Oliver, distinto cavalheiro dos pés à cabeça com o seu fato de bom corte, que lhe merecera atenção imediata. Pela sua simples presença. Não era justo. Mas era útil, disse consigo mesma. E, claro, assim que abria a boca, o sotaque dele anunciava que era um produto das classes superiores, com a natural autoridade que Eton e Oxford conferiam aos Olivers deste mundo.

E, assim, a mulher das lunetas tinha sido prestável. Acompanhara-os junto dos livros vermelhos e descobrira o que devia conter o registo de Polly. – Polly é o diminutivo de Pauline – disse ela à mulher mas não fez qualquer diferença. Não havia nenhuma mulher com o apelido Smith, primeiro nome começado por «P», nascida em Bingley Street, Highgate, no dia 1 de Maio nem no fim de Abril nem em meados de Maio. Havia um Thomas Smith, nascido em Priory Gardens no dia dois de Maio; era o que de mais próximo havia.

 

Continue a ler A Arte de Amar, de Elizabeth Edmondson aqui.



publicado por Rita Mello às 16:58 | link do entrada | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 29 de Junho de 2009

 

Escândalo, romance e intrigas familiares pela mão da autora do bestseller Uma Villa em Itália

 

Polly Smith está a tentar sobreviver enquanto artista quando Oliver, seu amigo e mecenas, a convida a ir para casa do pai no Sul de França. Entusiasmada por poder fugir do frio e da chuva de Londres e do noivo monótono, Polly pede a sua certidão de nascimento para poder requerer um passaporte. Mas é aí que o seu mundo desaba: aquela que sempre pensou ser sua mãe é, na verdade, sua tia; a identidade do pai é desconhecida e até o seu próprio nome não está correcto.

A sua “fuga” para o sol da estimulante da Riviera imprime uma nova vida à sua pintura, mas nem tudo corre bem na mansão onde está hospedada. O pai de Oliver foi forçado a abandonar a Inglaterra no meio de um escândalo e, apesar do sofisticado e cosmopolita grupo de amigos que o rodeia, está prestes a ser apanhado pelo seu passado. E, embora Polly se encontre no centro de uma teia de mentiras, o seu próprio futuro começa a tomar um novo e fascinante rumo…



publicado por Rita Mello às 14:11 | link do entrada | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Elizabeth Edmondson consegue criar enredos e personagens bastante intrigantes, cenários espectaculares e finais felizes, mas não sentimentalistas. Tem também o feliz dom de inserir factos fascinantes que fazem com que os seus livros sejam profundos e envolventes.”

The Oxford Times



publicado por Rita Mello às 14:11 | link do entrada | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

 

 

Elizabeth Edmonson nasceu no Chile e cresceu em Calcutá e Londres, antes de ir estudar para Oxford. Divide actualmente o seu tempo entre Itália e Inglaterra. Está casada com um historiador de arte e tem dois filhos. Para além de Uma Menina de Boas Famílias, na ASA estão também publicados, com grande sucesso, os seus romances Uma Villa em Itália, A Arte de Amar, A Casa do Lago e Uma Mansão na Bruma.



publicado por Rita Mello às 14:10 | link do entrada | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 25 de Junho de 2009

 



publicado por Rita Mello às 15:11 | link do entrada | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Segunda-feira, 22 de Junho de 2009

Rebeca Bonjour:

Olho para ele. Traz nas mãos um livro. Pousa-o com todos os cuidados, e abre-o delicadamente. Começa então a percorrer as linhas com aquele olhar apaixonado, por vezes risonho, por vezes triste, de quem vive um mundo próprio e desvenda lugares encantados. Os seus dedos acariciam cada página com a ternura de um pai que acaricia um filho enquanto dorme. Juntos, ele e o livro, fundem-se num só, com uma só história, uma só memória, uma só vida. E então pergunto-me, que mais me poderia seduzir no mundo que não esse amor pelos livros, essa paixão arrebatadora, incomparável e única que só o próprio consegue compreender?

 

Eduardo Alves:

A característica que mais me seduz noutra pessoa é o olhar. O andar provocante, a pose de cortar a respiração, a voz capaz de prender indefinidamente a atenção evaporam-se da memória com o olhar, magnético, transparente e ao mesmo tempo enganador e cheio de magia, de uma pessoa que tem a extraordinária habilidade de nos conquistar.

 

Maria Helena:

Pelos teus olhos fico atraído,

Pelos teus lábios possuído.

Na tua pele me perco,

E o teu corpo cerco.

Mas o que mais me seduz,

É a tua voz,

Que me guia e conduz,

Como um rio que chega à foz.

 

Maria Inês Varela Raimundo:

O que mais me seduz é um sorriso de quem é realmente bem-disposto, um sorriso que é correspondido por olhos que também sorriem, que parecem dar-nos um abraço a sério, daqueles onde cabe tudo e onde, ao mesmo tempo, se esquece tudo, um sorriso que contem ternura, descontracção, mas também preocupação de alguém que seja sincero, que não tente ser aquilo que não é e claro que demonstre todo o amor que sente por nós.

 

Diana Almeida:

É o cheiro da sua pele, aquele cheiro que mais ninguém sente, um cheiro só dele que me prende ao seu peito como uma abelha com mel no leito; estanco e sonho, colada a ele, com esse aroma que inebria, acalma e amacia qualquer fúria que logo é esquecida...



publicado por Rita Mello às 17:16 | link do entrada | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 15 de Junho de 2009

Qual a característica que mais a (o) seduz noutra pessoa?

Responda de forma criativa a esta questão e habilite-se a ganhar um dos cinco exemplares de Jogos de Sedução, de Madeline Hunter, que a ASA tem para lhe oferecer.

A frase terá de ser enviada até quarta-feira, dia 17 de Junho, para joanneharris@sapo.pt



publicado por Rita Mello às 09:48 | link do entrada | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sexta-feira, 12 de Junho de 2009

Roselyn Longworth contemplou a sua ruína.

O inferno não era fogo e enxofre, percebeu. Era ver-se a si própria, sem misericórdia. No inferno, uma pessoa descobria a verdade sobre ela própria. Enfrentava as mentiras que tinha dito à sua alma para justificar actos errados.

O inferno era também uma humilhação eterna, como a que ela estava a sofrer naquela festa numa casa de campo.

À sua volta, os outros convidados de Lord Norbury riam e brincavam enquanto aguardavam a chamada para jantar. Quando chegara, na carruagem de Lord Norbury, descobrira que a lista de convidados não era a que ela esperava. Os homens eram todos membros da boa sociedade, mas as mulheres…

Um guincho agudo interrompeu os seus pensamentos. Uma mulher com um vistoso vestido de noite cor de safira fingia debater-se com um homem que a agarrara. Os outros homens soltaram gritos de encorajamento. Até Norbury o incentivou. Depois de uma exibição falsa de resistência, a cativa rendeu-se ao tipo de abraço e beijo que mais ninguém devia ver.

Roselyn estudou os rostos pintados e a indumentária exagerada das outras mulheres. Os homens não tinham trazido as esposas. Nem sequer tinham trazido as suas amantes mais refinadas. Aquelas mulheres eram prostitutas vulgares importadas dos bordéis de Londres. Suspeitava que algumas delas nem sequer a isso podiam aspirar.

E ali estava Roselyn, entre elas.

Não podia fugir às terríveis implicações. Os outros homens tinham trazido as suas prostitutas e Lord Norbury trouxera a dele.

Como podia ter compreendido tão mal os acontecimentos do último mês? Tentou recuar ao dia das primeiras lisonjas e propostas de Lord Norbury mas a memória desaparecera, reduzida a cinzas pelo fogo implacável da realidade das últimas vinte e quatro horas.

O amante em questão deambulou entre os convidados, dirigindo-se a ela. A cada passo, a luz dos seus olhos brilhava um pouco mais. Ela julgara que eram as chamas do amor e da paixão. Via-as agora como luz reflectida em gelo.

Fora pateticamente estúpida.


Continue a ler o primeiro capítulo de Jogos de Sedução aqui.



publicado por Rita Mello às 15:02 | link do entrada | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Segunda-feira, 8 de Junho de 2009

 

 

Ele conhece todos os segredos dela.

Excepto um…


Numa sala repleta de convivas, os seus olhares cruzam-se com uma intensidade invulgar… mas os seus mundos vão colidir violentamente. Ela é Roselyn Longworth e, antes de a noite terminar, vai ser leiloada. Ele é Kyle Bradwell, o homem que lhe dará a conhecer o Inferno.

Todavia, quando vence o leilão, Kyle trata Roselyn com uma delicadeza a que ela não está habituada desde que um escândalo familiar arruinou a sua reputação. E quando finalmente descobre o que o motivou a salvá-la do seu terrível passado, é já demasiado tarde: Roselyn está perdidamente apaixonada pelo homem que sabe os seus mais íntimos segredos. Agora, ele surpreende-a com um pedido de casamento – o primeiro passo num jogo de sedução que exigirá nada menos que a sua completa rendição…



publicado por Rita Mello às 09:03 | link do entrada | comentar | ver comentários (39) | favorito
|

 

“Uma história fascinante e irresistível sobre duas pessoas e um triunfo que desafia todas as probabilidades.”

Booklist

 

“Madeline Hunter exibe a sua capacidade única para atrair os leitores para um romance escaldante que fala directamente ao corpo, mente e coração… A sua excepcional capacidade para contar histórias é fascinante.”

Romantic Times

 

“Maravilhosamente escrito e com um elenco de personagens que fornece um pano de fundo sólido para uma história emocionante, Jogos de Sedução é um livro de leitura compulsiva… A paixão e as emoções andam à solta. Tal como Roselyn, as leitoras vão também apaixonar-se por Kyle. Desfrutem!”

Romance Reviews Today



publicado por Rita Mello às 09:02 | link do entrada | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 5 de Junho de 2009


publicado por Rita Mello às 10:56 | link do entrada | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 4 de Junho de 2009

Isabel:

Ter os pés molhados numa poça de mar salgado e nos olhos já a doce saudade de lá voltar.


Cristina Costa:

Para a receita de umas férias de sonho misturar os seguintes ingredientes: namorado, amigos, praia e serra q.b. e temperar com jantaradas e uma boa dose de diversão; levar a cozinhar em ambiente calmo, com muito sol e sem poluição durante cerca de 15 dias. Bom apetite!

 

Marta Santos:

Praia paradisíaca + cultura diferente + sossego matinal + êxtase nocturno + comidas apetitosas + locais fantásticos para visitar + boa companhia = férias de sonho!

 

Nuno Gonçalves:

Férias de sonho são passadas em ti, o teu corpo como areia da praia, o teu sorriso aquece o dia só por si, as tuas palavras são o murmúrio do mar, contigo o sonho é em qualquer lugar!


Ricardo Raimundo:

Sonho com um paraíso longínquo onde a linha do horizonte se cruza com o céu, onde o sol, cavalheiro, se retira para deixar que a lua brilhe e onde a areia macia debaixo dos meus pés me mostre que só as pequenas coisas têm verdadeiro significado, e é neste pequeno, meu paraíso, que encontrarei o descanso que preciso.



publicado por Rita Mello às 15:51 | link do entrada | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Terça-feira, 2 de Junho de 2009

Um Verão em Siena, o mais recente romance de Esther Freud, é um regresso ao romance sobre a entrada na idade adulta, com mais uma jovem protagonista a descobrir as verdades desagradáveis sobre o mundo. Seguimos Lara, uma rapariga de dezassete anos convidada a acompanhar o pai, que mal conhece, numas férias na Toscana. Eles ficam com Caroline, uma velha amiga do pai, e Lara é de imediato apresentada aos vizinhos, o rico e incestuoso clã Willoughby, cujos membros passam o dia na piscina, a bronzearem-se e a distraírem-se com sexo e alianças em constante mutação. Esther Freud invoca na perfeição o calor indolente, as piscinas refrescantes e os longos e de fazer água na boca almoços de alcachofras, prosciutto e mozzarella. É um mundo sedutor e artificial, e o leitor consegue facilmente partilhar a mistura de atracção, inveja e repulsa que Lara sente.



publicado por Rita Mello às 15:28 | link do entrada | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 1 de Junho de 2009

A Noiva Italiana, de Nicky Pellegrino, está em primeiro lugar no top de livros dos hipermercados Jumbo. Além disso, já se encontra também em oitavo lugar no top do El Corte Inglés.



publicado por Rita Mello às 17:22 | link do entrada | comentar | favorito
|

 

Obrigada, Ana, do blogue Livros, o Meu Vício, por estes dois selos.

E as regras são:

Dar sete dicas de beleza e indicar sete blogues para receberem os selinhos.

1 – Dormir bem

2 – Sorrir sempre (ou, pelo menos, quase sempre…)

3 – Usar protector solar quando se apanha sol (muito importante!)

4 – Hidratar a pele

5 – Amar (porque o amor faz-nos sentir mais bonitas)

6 – Comer chocolate moderadamente (é antioxidante, antidepressivo, agiliza o raciocínio, faz bem ao coração e faz-nos sentir felizes)

7 – Sentir-se bem consigo própria

Quanto aos sete blogues, vou contornar as regras e dedicar a todos os participantes dos passatempos neste blogue. Bem o merecem.


tags:

publicado por Rita Mello às 17:14 | link do entrada | comentar | favorito
|































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































arquivos

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

tags

a arte de amar

a casa do lago

a crítica

a herança

a leste do sol

a melodia do amor

a menina na falésia

a noiva italiana

agatha christie

agnès desarthe

agridoce

alice hoffman

alona kimhi

annie murray

anthony capella

as meninas dos chocolates

as raparigas da villa

as regras da sedução

as vidas privadas de pippa lee

autobigrafia

barbara e stephanie keating

barbara taylor bradford

bernardine kennedy

bernhard schlink

biografia

casamento de conveniência

chimamanda ngozi adichie

chris cleave

cinema

coleção crime à hora do chá

concurso

confissões ao luar

corações sagrados

crítica

crónica de paixões & caprichos

daniel mason

divorciada aos 10 anos

doces aromas

documentos

domenica de rosa

elizabeth edmondson

entrevista

esther freud

excerto

filme

jaycee dugard

jean sasson

joanne harris

jogos de sedução

julia gregson

julia quinn

kate jacobs

katherine webb

kunal basu

lesley pearse

lições de desejo

lili la tigresse

lucinda riley

madeline hunter

mary balogh

mil noites de paixão

natasha solomons

nicholas sparks

nicky pellegrino

nojoud ali

nunca digas adeus

nunca me esqueças

o clube de tricô de sexta à noite

o português inquieto

o segredo de sophia

os ingredientes do amor

os pecados de lord easterbrook

paullina simons

pequena abelha

prémios

procuro-te

quem quer ser bilionário

rani manicka

razões do coração

rebecca miller

roopa farooki

sam bourne

sarah dunant

segue o coração – não olhes para trás

seis suspeitos

sinopse

susanna kearsley

teu para sempre

top

trailer

trilogia langani

um verão em siena

uma carta inesperada

uma casa de família

uma noite de amor

uma vida ao teu lado

vida roubada

vídeo

vikas swarup

w bruce cameron

todas as tags

Amigas e amigos
A Casa Torta
A Galáxia dos Livros
A Gémea que Faltava
Alojaeasverdades
A Magia dos Livros
A Menina dos Policiais
Ametista Cintilante
A Minha Vida em Mil Páginas
Amostras e Passatempos
Anjo, Estrelinhas e Manas
Ao Ler o Livro
A Opinião do Prazer
A Participar
A Partir dos 30
Artes e Devaneios
As Ameias do Crepúsculo
As Histórias de Elphaba
As Leituras da Fernanda
As Leituras da Maggie
As Leituras do Corvo
As Minhas Leituras
Avenida Surrealista
A Viajante
Bad Books Don’t Exist
BiblioMigalhas
Biblioteca CEF LIVROS com VIDA
Biblioteca do CEDV
BlogBrottas
Blogtailors
Bookeater/Booklover
BookManíacas
Books and Books
Books Around the Corner
By Juaniska
Café de Letras
Cantinho das Partilhas
Cartuchos Literários do Guerreiro
Castelo de Letras
Chá da Meia-Noite
Chá de Menta
Chá para Dois
Chovem Livros
Cinco Quartos de Laranja
Clorofórmio do Espírito
Clube dos Livros
Clumsy Girl
Coisas da Cleo
Compartilhando Leituras
Conta-me Histórias
Cuidado com o Dálmata
Daqui Prá Frente Só Há Dragões
Declaro-me Sonhadora
Destante
De Volta dos Tachos
Directório Livros e Marcadores
Doce Refúgio
Doida por Livros
Dominus
Dos Meus Livros
Esmiuça o Livro
Esmiuçar os Livros
Estante de Livros
Este meu Cantinho
Expressividade
FazendoArte
Finding Neverland
Floresta das Leituras
Floresta de Livros
Folhas de Papel
Ganha Prémios na Net
Ganhar.me
Girl in the Clouds
Godalsky
Gosto de Ti Livro
Grilinha
Há Luz no Fundo do Túnel
Horas Serenas
Ines’s Secrets
Inocência de Amar
Já Ganhavas qualquer Coisa!
Jonasnuts
Kikisses
Lector in Fabula
Learning To Breathe on my Own
Leitura da Semana
Leituras (and so on)
Leituras… By Bauny
Leituras das Marias
Leituras de A a B
Ler
Ler e Reflectir
Ler é Viver
Ler por Gosto não Cansa
Ler, um Prazer Adquirido
Letras&Baquetas
Letras sem Fundo
Leves e Ausentes
Leya BIS
Livreo
Livros de Bia
Livros e Leituras
Livros e Marcadores
Livros, o Meu Vício
Livros no Tempo
Livros para Devorar
Livros que Inspiram
Lost in Chick-Lit
Lucie’s… Corner on the Moon
Magical Pieces…
Mais Alguém no Mundo
Mais Passatempos
Manta de Histórias
Marcador de Livros
Maria Pudim
Max Costinha
Mesmo Grátis
Mil Estrelas no Colo
Minha Essência
Mira 46
Momentâneos
Morrigan
Moura Aveirense
Muito para Ler
Mundo da Inca
Mundo de Prata
My Imaginarium
My Life
Na Companhia dos Livros
Na Esquina do Tempo
Na Palma da Mão
Nataxxa and Geninha’s Blog
Novas Perspectivas Insulares
O Baú da Erminda
O Meu Momento Zen
O Meu Mundo
O Meu Mundo Miga
O Mundo Encantado dos Livros
O Prazer da Leitura
O Prazer de Ler
Os Devaneios da Jojó
Os Livros da Maria
Os Livros Não Têm Segredos
Os Meus Livros
O Sótão da Mimi
O Tempo entre os Meus Livros
Ouvi Dizer
O Vento Debaixo das Minhas Asas
Palavras Impressas
Palavras Partilhadas
Palavras Soltas
Passatempos Online
Pedacinho Literário
Pereira’s Book’s
Photos e Afins
Pintar com Quantas Cores o Vento Tem
Pipocas Gourmet
Planeta Márcia
Poemas, Rimas & Prosas
Pontos e Pensamentos
Porta-Livros
Porto das Pipas
Portugal Creative
Postais de Anis
Prazer dos Passatempos
Princesa Nilo
Princezices
PTPassatempos
Quadrícula
Queria de Ti
Read to Grow Europe
Refém das Letras
Refúgio do Leitor
Refúgio dos Livros
Romance n’Alma
Romances in Pink
Sapo Livros
Segredo dos Livros
Segredos Escondidos
Silêncios que Falam
SimpleSamples
Sociedade Aberta
Sofia e os Livros
Sol a Cada Dia
Sonhos de uma Rapariga
Sombra dos Livros
Tantos Livros Tão Pouco Tempo
Tempo de Mim
Tertúlias à Lareira
The Fanatic Reader
Tocas e Baldocas
Toque Suave
Totó da Cabeça
Tralhas Grátis
Tuga Passatempos
Uma Biblioteca Aberta
Um Livro e um Café
Um Ponto Azul
Vaidades
Viajar pela Literatura
Vidas Desfolhadas




subscrever feeds