Quinta-feira, 23.04.09

  



publicado por Rita Mello às 09:50 | link do entrada | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 13.03.09

Lili é uma mulher de peso, voluptuosa e voraz, excessiva em tudo. Perdeu a virgindade na casa de banho de um avião, com um rapaz japonês. Ninush, a amiga, é uma neurótica magrinha, que só faz da vida do seu namorado Léon uma constante miséria. Lili vive com um oficial que vem sempre cansado da guerra. As duas amigas são iguais apenas na solidão e insatisfação das suas vidas. Mais tarde, Lili reencontra o tal japonês. Com surpresa, descobre que é um mutante, que lhe oferece um tigre bebé. Alona Kimhi, nascida em Lvov, Ucrânia, em 1966, autora de Susana em Lágrimas, o seu primeiro romance, best-seller mundial, acrescenta algo mais à interrogação do que é ser humano, num registo exuberante, quase surreal, cheio de humor feroz e observações delirantes. A vida dessa mulher é uma busca de como preencher o “vazio da expectativa”, numa vida em que “o tempo flui, o tempo fissura-se. Tempo oco, todo ele presente contínuo. Não há passado, nem futuro, esperança ou medo. A viagem que temos diante de nós é longa e não é certo que algum dia cheguemos ao nosso destino”. O tigre funciona como um sinal, uma poderosa presença, um desejo de libertação dos constrangimentos, mas também o núcleo mais vital de Lili, o único capaz de apontar o caminho do grande horizonte.



publicado por Rita Mello às 15:50 | link do entrada | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Quinta-feira, 26.02.09

 

Patrícia Elias

A beleza e a dignidade de só agradar a quem se deseja. A disposição e o tempo para se deleitar com um momento de pausa ou para analisar perspicazmente o que nos rodeia. Uma propensão para deambular após o ocaso. Que animal poderia ser senão um gato?

 

Vanessa Casais

Se eu fosse um animal seria um caracol e viveria nas madeixas de cabelo do meu amor!

 

Nuno Gonçalves

Seria um ser humano! Porque de outra forma não poderia ler e não existe maior liberdade do que viajarmos na nossa imaginação...



publicado por Rita Mello às 15:57 | link do entrada | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 20.02.09

 

Se pudesse ser um animal, qual seria?

Responda com criatividade a esta questão enviando um e-mail para joanneharris@sapo.pt e habilite-se a um dos três exemplares de Lili la Tigresse que a ASA tem para lhe oferecer.

 



publicado por Rita Mello às 10:41 | link do entrada | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 11.02.09

Com um suspiro de tristeza separo-me dos maravilhosos odores o banho e embrulho-me numa toalha áspera de tão limpa. O meu corpo absorve o contacto e volta a ser inundado pelo desejo de outro contacto, quente, humano. Um contacto que penetraria no sangue através dos poros da pele, uma pele agora livre do pó e do suor, mais receptiva à corrente cósmica do desejo e às suas vibrações veiculadas pela poluição urbana. Ninush está atrasada, naturalmente, e vou ter de prescindir dos seus bons conselhos na escolha do vestido.

 

O meu corpo opulento transborda como o de uma antiga deusa da fertilidade. Tenho de recuar um passo para que todas as minhas curvas se reflictam no espelho estreito do armário. Afasto a ferroada de dor – as palavras de Amikam naquela noite fatal em que me anunciou ter decidido cancelar o nosso casamento e despedir-se de mim para sempre.

 

Até hoje me envergonho ao lembrar-me de como chorei e rastejei aos pés dele pelos ladrilhos do apartamento que o kibutz pusera à sua disposição, entre as paredes cobertas de máscaras africanas e de tapetes afegãos e as estantes cheias de livros da editora Am Oved, de estatuetas de marfim e cinzeiros feitos com as mãos embalsamadas de infelizes gorilas. Gemi promessas de dietas, de operações para encurtar os intestinos, de banda gástrica, de obstrução dos maxilares e então talvez, sim, talvez então ele concordasse em esperar, e ele acenava com a cabeça, «Talvez, Lili, talvez então», embora ambos soubéssemos que a natureza do meu corpo era tal que recusaria qualquer intervenção externa e que não havia jejum capaz de o libertar das suas dimensões, como se, no seu interior, algo secreto, sombrio, aspirasse sempre a tornar-se maior e mais largo, e se erguesse obstinadamente contra todas as minhas tentativas para o reduzir.

 

Leia mais aqui.



publicado por Rita Mello às 16:31 | link do entrada | comentar | favorito
|

Terça-feira, 10.02.09

É irresistível a protagonista de Lili la Tigresse, o último romance da ucraniana Alona Kimhi, que vive desde 1972 em Israel, onde é famosa pelos seus bestsellers traduzidos em diversas línguas. A sua Lili leva uma existência semelhante a todas as jovens gordas numa qualquer cidade do mundo ocidental, entre a fantasia de uma vida diferente e a frustração quotidiana. As suas amigas magras Ninush e Micaela não são mais felizes do que ela: uma presa a um homem violento e a outra com a esperança de conseguir deixar de viver na miséria. Mas, um dia, um antigo amante japonês, agora transexual, oferece a Lili um tigre bebé. E o contágio do mundo selvagem e ancestral – que está por detrás de todos nós – vai ser fatal.

 

Lili é uma grande personagem: intensa, complexa e a transbordar de vida. Porque escolheu uma personagem gorda?

 

Porque ser-se gorda representa, para a mulher, o máximo da vulnerabilidade. Uma mulher gorda como ela é sensível, hiperemocional, extra-sensual, escrava de desejos masoquistas. É uma hedonista cheia de vergonha, incapaz de corresponder aos requisitos mínimos da civilização, que impõe o sublime e disfarça todos os de instintos. Em Telavive, as mulheres também passam por maus bocados. Há uma grande dissonância no meu país em relação à imagem da mulher israelita, dura e quase agressiva – a mulher-soldado, a feminista ocidental transplantada para o Oriente primitivo –, e a sua essência mais autêntica: uma cidadã de segunda classe num Estado, Israel, com a pretensão de pertencer ao Ocidente. A obsessão permanente da sobrevivência e, desse modo, a importância que é dada à segurança e à política externa não permitem a Israel investir energia e recursos nas minorias, mulheres incluídas.

 

A cena de sexo entre Taro e Lili é bastante anticonvencional, algo muito raro quando se escreve sobre sexo.

 

Sou uma grande apoiante do distanciamento quando escrevo. E isso é ainda mais importante numa cena de sexo, que não é uma confissão pessoal. Assim posso ser precisa, verdadeira, original, mantendo no entanto o controlo total. Essa cena é o meu presente para o leitor, e é ele quem deve identificar-se, envolver-se e excitar-se, e não eu, que escrevo.

 

Como teve a ideia do tigre bebé?

 

Fui muito influenciada pelos livros de Angela Carter, pelo seu modo de inserir o fantástico numa narração realista, que não é uma prerrogativa exclusiva do realismo mágico sul-americano. Também eu procuro fundir esse mundo fantástico e exuberante na realidade quotidiana israelita. Veio-me agora à mente uma história que se passou há alguns anos, quando o Circo Medrano ofereceu tigres bebés, causando um grande escândalo.

 

(Artigo da autoria de Monica Capuani publicado na D – La Repubblica delle Donne)



publicado por Rita Mello às 12:28 | link do entrada | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 09.02.09

Lili é uma mulher extremamente emocional e assustadoramente sensível.

Lili é uma mulher exuberante, intensa e excessiva.

Lili pesa 112 quilos e vive sozinha desde que o seu noivo, assustado com semelhante peso, anulou o casamento à última hora.

Ninush é magra mas igualmente infeliz, condição para a qual o seu namorado – Léon – contribui activamente. O ciumento Léon, que enriqueceu graças à invenção de collants eléctricos contra a celulite, está decidido a proteger Ninush de tudo e todos… nem que para tal tenha de usar métodos musculados.

Estas duas solitárias tornam-se inseparáveis. Ou melhor, quase inseparáveis. Numa noite em que Léon proíbe Ninush de sair de casa, Lili decide ir sozinha ao circo. Atónita, descobre que o domador de feras é nada mais nada menos do que Taro, o japonês que lhe tirou a virgindade na casa de banho de um Boeing 737. Taro está de regresso ao Japão, mas antes de partir oferece-lhe algo surpreendente: um tigre bebé. Face a um mundo desconhecido, selvagem e ancestral, a vida de Lili e de todos quantos a rodeiam vai mudar para sempre.

Excêntrico e extravagante, Lili la Tigresse impõe Alona Kimhi na cena literária internacional como uma das mais originais escritoras da sua geração.



publicado por Rita Mello às 16:31 | link do entrada | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Lili la Tigresse é o novo romance da israelita Alona Kimhi (Edições Asa, que já tinham lançado Susana em Lágrimas, uma história imperdível). Kimhi é um perigo: escreve bem, é belíssima e gosta de Portugal. E o livro merece.”

Francisco José Viegas, Correio da Manhã
 
“Um romance maravilhoso sobre a inquietante estranheza do ser.”
Le Magazine Littéraire
 
“Divertido e delirante, Lili la Tigresse conduz o leitor de surpresa em surpresa.”
Livres Hebdo
 
“Uma pérola de virtuosismo de Alona Kimhi, que tanto está à vontade na truculência como na fantasia.”
Lire
 
“Uma prosa irónica, quase sádica… Maravilhosamente divertida, neuroticamente lúcida e narrativamente eloquente.”
Die Welt
 
“Irresistível… Lili é uma grande personagem: intensa, complexa e a transbordar de vida.”
D – La Repubblica delle Donne


publicado por Rita Mello às 16:30 | link do entrada | comentar | favorito
|

Alona Kimhi nasceu em Lvov, na Ucrânia, em 1966 e emigrou para Israel com a família quando tinha seis anos. Estudou Teatro e trabalhou como actriz, jornalista, argumentista, dramaturga e encenadora. Susana em Lágrimas, o seu primeiro romance, foi um bestseller mundial, tendo sido publicado pela ASA e galardoado com o Prémio Bernstein para o melhor romance de Israel em 1999 e o Prémio WIZO em 2002. Alona Kimhi venceu ainda o Prémio do Primeiro-Ministro de Israel em 2001.



publicado por Rita Mello às 16:29 | link do entrada | comentar | favorito
|































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































arquivos

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

tags

a arte de amar

a casa do lago

a crítica

a herança

a leste do sol

a melodia do amor

a menina na falésia

a noiva italiana

agatha christie

agnès desarthe

agridoce

alice hoffman

alona kimhi

annie murray

anthony capella

as meninas dos chocolates

as raparigas da villa

as regras da sedução

as vidas privadas de pippa lee

autobigrafia

barbara e stephanie keating

barbara taylor bradford

bernardine kennedy

bernhard schlink

biografia

casamento de conveniência

chimamanda ngozi adichie

chris cleave

cinema

coleção crime à hora do chá

concurso

confissões ao luar

corações sagrados

crítica

crónica de paixões & caprichos

daniel mason

divorciada aos 10 anos

doces aromas

documentos

domenica de rosa

elizabeth edmondson

entrevista

esther freud

excerto

filme

jaycee dugard

jean sasson

joanne harris

jogos de sedução

julia gregson

julia quinn

kate jacobs

katherine webb

kunal basu

lesley pearse

lições de desejo

lili la tigresse

lucinda riley

madeline hunter

mary balogh

mil noites de paixão

natasha solomons

nicholas sparks

nicky pellegrino

nojoud ali

nunca digas adeus

nunca me esqueças

o clube de tricô de sexta à noite

o português inquieto

o segredo de sophia

os ingredientes do amor

os pecados de lord easterbrook

paullina simons

pequena abelha

prémios

procuro-te

quem quer ser bilionário

rani manicka

razões do coração

rebecca miller

roopa farooki

sam bourne

sarah dunant

segue o coração – não olhes para trás

seis suspeitos

sinopse

susanna kearsley

teu para sempre

top

trailer

trilogia langani

um verão em siena

uma carta inesperada

uma casa de família

uma noite de amor

uma vida ao teu lado

vida roubada

vídeo

vikas swarup

w bruce cameron

todas as tags

Amigas e amigos
A Casa Torta
A Galáxia dos Livros
A Gémea que Faltava
Alojaeasverdades
A Magia dos Livros
A Menina dos Policiais
Ametista Cintilante
A Minha Vida em Mil Páginas
Amostras e Passatempos
Anjo, Estrelinhas e Manas
Ao Ler o Livro
A Opinião do Prazer
A Participar
A Partir dos 30
Artes e Devaneios
As Ameias do Crepúsculo
As Histórias de Elphaba
As Leituras da Fernanda
As Leituras da Maggie
As Leituras do Corvo
As Minhas Leituras
Avenida Surrealista
A Viajante
Bad Books Don’t Exist
BiblioMigalhas
Biblioteca CEF LIVROS com VIDA
Biblioteca do CEDV
BlogBrottas
Blogtailors
Bookeater/Booklover
BookManíacas
Books and Books
Books Around the Corner
By Juaniska
Café de Letras
Cantinho das Partilhas
Cartuchos Literários do Guerreiro
Castelo de Letras
Chá da Meia-Noite
Chá de Menta
Chá para Dois
Chovem Livros
Cinco Quartos de Laranja
Clorofórmio do Espírito
Clube dos Livros
Clumsy Girl
Coisas da Cleo
Compartilhando Leituras
Conta-me Histórias
Cuidado com o Dálmata
Daqui Prá Frente Só Há Dragões
Declaro-me Sonhadora
Destante
De Volta dos Tachos
Directório Livros e Marcadores
Doce Refúgio
Doida por Livros
Dominus
Dos Meus Livros
Esmiuça o Livro
Esmiuçar os Livros
Estante de Livros
Este meu Cantinho
Expressividade
FazendoArte
Finding Neverland
Floresta das Leituras
Floresta de Livros
Folhas de Papel
Ganha Prémios na Net
Ganhar.me
Girl in the Clouds
Godalsky
Gosto de Ti Livro
Grilinha
Há Luz no Fundo do Túnel
Horas Serenas
Ines’s Secrets
Inocência de Amar
Já Ganhavas qualquer Coisa!
Jonasnuts
Kikisses
Lector in Fabula
Learning To Breathe on my Own
Leitura da Semana
Leituras (and so on)
Leituras… By Bauny
Leituras das Marias
Leituras de A a B
Ler
Ler e Reflectir
Ler é Viver
Ler por Gosto não Cansa
Ler, um Prazer Adquirido
Letras&Baquetas
Letras sem Fundo
Leves e Ausentes
Leya BIS
Livreo
Livros de Bia
Livros e Leituras
Livros e Marcadores
Livros, o Meu Vício
Livros no Tempo
Livros para Devorar
Livros que Inspiram
Lost in Chick-Lit
Lucie’s… Corner on the Moon
Magical Pieces…
Mais Alguém no Mundo
Mais Passatempos
Manta de Histórias
Marcador de Livros
Maria Pudim
Max Costinha
Mesmo Grátis
Mil Estrelas no Colo
Minha Essência
Mira 46
Momentâneos
Morrigan
Moura Aveirense
Muito para Ler
Mundo da Inca
Mundo de Prata
My Imaginarium
My Life
Na Companhia dos Livros
Na Esquina do Tempo
Na Palma da Mão
Nataxxa and Geninha’s Blog
Novas Perspectivas Insulares
O Baú da Erminda
O Meu Momento Zen
O Meu Mundo
O Meu Mundo Miga
O Mundo Encantado dos Livros
O Prazer da Leitura
O Prazer de Ler
Os Devaneios da Jojó
Os Livros da Maria
Os Livros Não Têm Segredos
Os Meus Livros
O Sótão da Mimi
O Tempo entre os Meus Livros
Ouvi Dizer
O Vento Debaixo das Minhas Asas
Palavras Impressas
Palavras Partilhadas
Palavras Soltas
Passatempos Online
Pedacinho Literário
Pereira’s Book’s
Photos e Afins
Pintar com Quantas Cores o Vento Tem
Pipocas Gourmet
Planeta Márcia
Poemas, Rimas & Prosas
Pontos e Pensamentos
Porta-Livros
Porto das Pipas
Portugal Creative
Postais de Anis
Prazer dos Passatempos
Princesa Nilo
Princezices
PTPassatempos
Quadrícula
Queria de Ti
Read to Grow Europe
Refém das Letras
Refúgio do Leitor
Refúgio dos Livros
Romance n’Alma
Romances in Pink
Sapo Livros
Segredo dos Livros
Segredos Escondidos
Silêncios que Falam
SimpleSamples
Sociedade Aberta
Sofia e os Livros
Sol a Cada Dia
Sonhos de uma Rapariga
Sombra dos Livros
Tantos Livros Tão Pouco Tempo
Tempo de Mim
Tertúlias à Lareira
The Fanatic Reader
Tocas e Baldocas
Toque Suave
Totó da Cabeça
Tralhas Grátis
Tuga Passatempos
Uma Biblioteca Aberta
Um Livro e um Café
Um Ponto Azul
Vaidades
Viajar pela Literatura
Vidas Desfolhadas




subscrever feeds