Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHOCOLATE PARA A ALMA – LER NÃO ENGORDA

CHOCOLATE PARA A ALMA – LER NÃO ENGORDA

25
Mai09

LEIA AS PRIMEIRAS PÁGINAS DE UM VERÃO EM SIENA

Rita Mello

Não sei se alguma vez te falei na minha amiga Caroline – disse Lambert, quando um prato branco e espesso de kedgeree chegou à mesa e foi pousado sobre a toalha de linho imaculada, à frente de Lara –, mas recebi uma carta, esta manhã, e… – fez uma pausa para agradecer as costoletas que acabavam de chegar – …parece que ela não está nada bem.

– Oh, quero dizer, não, não me parece que alguma vez me tenha falado nela. Lara baixou os olhos para os filetes de peixe, o dourado da gema do ovo, a salsa agarrada ao arroz. Tinha vontade de começar a comer, mas pareceu-lhe indelicado. – Ela é… muito velha? – perguntou com vivacidade.

– Bem… – O pai pegou numa faca afiada e deu um golpe na carne. Não é especialmente velha. Terá mais alguns anos do que eu. Deve andar na casa dos sessenta, talvez. – Suspirou. – Ainda é consideravelmente nova.

Lara acenou com a cabeça enquanto levava à boca a primeira garfada, os suaves grãos aromatizados com canela e cravinho, as minúsculas sementes de alcaravia estalando entre os dentes, e perguntou-se se alguma vez iria ser capaz de considerar nova uma pessoa com sessenta anos.

– Fez-me pensar – continuou o pai, enquanto o empregado de mesa servia chá. – Se não deveria ir visitá-la. Ela alugou uma casa em Itália, para o Verão. Todos os anos faz isso porque o falecido marido era italiano, e todos os anos me convida, mas desta vez… desta vez acho que vou mesmo.

Baixou os olhos, então, de sobrolho franzido, dando a Lara a hipótese de observá-lo, de ver em que medida esta declaração estava a afectá-lo. Era um homem que sempre fizera questão de nunca sair de Londres, e, tanto quanto ela sabia, ainda Lara não era nascida quando ele o fizera pela última vez. Certa vez, perguntara-lhe por que razão nunca viajava. O pai encolhera os ombros e respondera: para quê viajar quando se vive no melhor lugar do mundo?

Por uns instantes, ficaram a comer em silêncio, até que o pai, ainda a mastigar, olhou para Lara.

– Já lá estiveste?

– Onde?

– Em Itália.

Lara abanou a cabeça. Tinha ido com a mãe até à Índia, de autocarro. Tinham atravessado a Bélgica, a Alemanha, a Grécia, a Turquia, depois o Irão (se bem que lhe tenham chamado Pérsia para fazer com que os dias passassem mais depressa), o Afeganistão e o desfiladeiro de Khyber. Também tinha estado na Escócia, onde vivera durante sete anos – por isso talvez não contasse –, mas a Itália nunca tinha ido.

O pai continuava a olhar para ela.

– Pensei que talvez gostasses de vir comigo.

– Consigo?

O pai acenou com a cabeça.

– A sério? Quero dizer, sim, gostaria de ir.

Sorriram um para o outro, selando o pacto. E, então, ondas de ansiedade, de receio, de uma excitação delirante percorreram o corpo de Lara com uma tal intensidade que todo o apetite desapareceu e terminar o pequeno-almoço pareceu-lhe subitamente uma tarefa tão árdua como se lhe tivessem pedido que arasse um campo.

 

Continue a ler Um Verão em Siena, de Esther Freud, aqui.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

O Meu Outro Blogue

  •  
  • Editoras

  •  
  • Escritoras

  •  
  • Blogues

    Arquivo

    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2014
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2013
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2012
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2011
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2010
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2009
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2008
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D