Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHOCOLATE PARA A ALMA – LER NÃO ENGORDA

CHOCOLATE PARA A ALMA – LER NÃO ENGORDA

27
Out09

ENTREVISTA COM AGNÈS DESARTHE

Rita Mello

 

 

Qual foi a inspiração por detrás de Doces Aromas?

Um dia apercebi-me de que passava mais tempo na cozinha do que na secretária a escrever. Despendia cada vez mais energia criativa a preparar pratos elaborados. Vi isso como um sinal e decidi usar os meus talentos culinários no meu novo romance.

Adoro cozinhar, e fazer compras é um processo bastante importante na culinária. Há uma espécie de reverência ligada ao próprio acto de escolher as frutas e os vegetais. Fico num estado muito próximo daquele em que fico quando estou à procura de uma palavra, do equilíbrio perfeito para uma frase.

 

Como conduziu a sua pesquisa?

Não quis fazer nenhuma pesquisa porque quis ser tão ingénua e indefesa como a minha personagem. Precisava de ver os problemas a aparecer ao lado dela, sem saber melhor do que ela qual a solução para eles. Mas posso acrescentar que já cozinhei para sessenta pessoas por dia, almoço e jantar.

 

Qual foi a coisa mais importante que aprendeu ao escrever este livro?

Descobri que não sermos capazes de amar o nosso próprio bebé era um assunto ainda mais tabu do que fazer sexo com um adolescente… mas isso aconteceu quando o livro foi publicado e posso afirmar que foi uma grande surpresa para mim. Tirando esse “assunto da recepção”, não acho que tenha alguma vez aprendido com a escrita. Quanto menos souber, melhor. O objectivo é ter dúvidas, perder, não aprender nada. Começo do zero com cada novo livro.

 

O facto de ser judia sefardita num país com uma longa tradição de anti-semitismo às claras e às escondidas e que tem também uma grande minoria árabe influenciou a sua escrita?

Na verdade sou meio sefardita e meio asquenaze. Cresci num país onde o sentimento de culpa ligado ao Holocausto impedia as pessoas de demonstrarem muito abertamente o seu anti-semitismo. Mas tudo mudou quando tinha vinte e tal anos: este sentimento de culpa foi substituído por um novo, ligado à descolonização e às atrocidades perpetradas pelo exército francês na Argélia. De repente as pessoas sentiram-se livres para dizer coisas como “porca judia” e tinha-se de fingir que não havia nenhum problema com os árabes. É tudo uma questão de sentimentos reprimidos.

A minha avó falava árabe, tal como o meu pai. Sempre senti que éramos uma espécie de árabes.

O facto de pertencer a uma minoria dever ter influenciado de alguma forma a minha escrita, de um modo que não sei dizer.

 

Como é que o facto de morar em Paris afectou a sua escrita?

Não sei bem se o facto de se morar num determinado sítio influencia a forma como uma pessoa escreve. Como escritora não moro em Paris, mas dentro dos meus livros. Mas neste romance, em particular, posso ter sido afectada ao imaginar o restaurante de Myriam pelos novos restaurantes que abriram recentemente na minha zona (entre o terceiro e o décimo primeiro bairro).

 

Como é que Paris afectou a sua vida?

Passo bastante tempo no campo, onde dou longas caminhadas. Isso ajuda a concentrar-me no meu trabalho. Como não gosto de passear em Paris (demasiado barulho, a qualidade do ar é péssima, não tenho terra macia debaixo dos pés), passo muito tempo em casa e cozinho, porque gosto de manter o meu corpo (ou apenas as minhas mãos) ocupado enquanto trabalho nos enredos.

Nunca me vi a mim mesma como parisiense. Nunca me senti tão perto de casa como em Moscovo. De um modo geral, acho que não pertenço a nenhum lado.

 

(Excerto de uma entrevista concedida ao site Paris Through Expatriate Eyes e disponível em www.paris-expat.com/interviews/5-08chez.htm)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

O Meu Outro Blogue

  •  
  • Editoras

  •  
  • Escritoras

  •  
  • Blogues

    Arquivo

    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2014
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2013
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2012
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2011
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2010
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2009
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2008
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D